As autoridades da Flórida emitiram uma ordem para retirar 5,6 milhões de pessoas antes da chegada do furacão Irma, que se prevê causar devastação no sudeste dos Estados Unidos. Isto apesar de, entretanto, o furacão ter perdido força e estar na categoria de intensidade 3.

Segundo o responsável pelo programa de furacões deste estado, Andrew Sussman, cerca de 5,6 milhões de pessoas receberam, até sexta-feira, uma ordem para deixarem as suas casas devido ao perigo mortal que o Irma representa.

Não é esta noite, não é daqui a uma hora. É agora”, afirmou o governador do estado, Rick Scott, sublinhando a urgência da ordem para que os cidadãos se mudem para os abrigos que existem em todo o estado.

De resto, Miami já se tornou uma cidade fantasma, com muitos a fugir da costa antes da chegada da tempestade. Tem havido uma corrida às bombas de gasolina e aos supermercados. As escolas já não abriram nesta sexta-feira.

O furacão perdeu força na manhã de sexta-feira, baixando à categoria 4, mas ao final do dia voltou a subir para a categoria 5, a máxima na escala Saffir-Simpson.

E foi na categoria de intensidade máxima, com ventos de cerca de 260 quilómetros por hora, que o Irma chegou a Cuba. Nesta sexta-feira à noite, o furacão tocou terra no arquipélago de Camagüey, no norte de Cuba.

Entretanto, o furacão voltou a baixar de intensidade. Durante a manhã baixou para a categoria 4 e durante a tarde voltou a baixar, situando-se agora na categoria de intensidade 3.

Apesar de ter perdido força, as autoridades mantêm-se em alerta. Os norte-americanos temem o pior para os próximos dias.

O Irma é a mais forte tempestade alguma vez gerada no Atlântico e deixou um rasto de destruição nas Caraíbas. Há pelo menos 21 mortos.

Estima-se que 1,2 milhões de pessoas tenham já sido afetadas por esta tempestade. A Cruz Vermelha teme que o número possa aumentar acentuadamente para 26 milhões.  

 

Katia passa a tempestade tropical depois de tocar terra no México

Além do Irma, há outros dois furacões que se movimentam no Oceano Atlântico: o furacão Jose e o Katia.

O Jose mantém a categoria de intensidade 4.

Já em relação ao furacão Katia, este perdeu intensidade e tocou terra na sexta-feira à noite no México, com categoria 1. O Katia converteu-se em tempestade tropical, com ventos até 70 quilómetros por hora, informou o Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos.

Pelas 01:00 de sexta-feira, hora local (07:00 em Lisboa), o furacão Katia avançava para o interior do México em direção a sudoeste, numa velocidade de 13 quilómetros por hora, localizando-se a 175 quilómetros de Veracruz e a 220 quilómetros de Tampico.

O Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos estima que o Katia sofra “um rápido enfraquecimento” e se dissipe ainda hoje.