O furacão Irma atingiu as Caraíbas, deixando a ilha de Barbuda “totalmente devastada” e 95% da parte francesa de Saint-Martin, nas Antilhas Pequenas, destruída, segundo informações oficiais divulgadas na noite de quarta-feira.

O Irma, de categoria 5, mantém-se bastante agressivo na passagem pelas Caraíbas, com ventos de quase 300 quilómetros/hora, tendo já provocado a morte de pelo menos dez pessoas: oito em Saint-Martin, uma em Anguilla e uma criança em Antígua e Barbuda, noticia a agência Associated Press.

A pequena ilha de Barbuda, nas Caraíbas, foi “totalmente devastada” pela passagem do Irma, que causou a morte de uma criança de dois anos, segundo o primeiro-ministro de Antígua e Barbuda, Gaston Browne, que, de acordo com a agência Reuters, admite pedir ajuda internacional para a recisntrução.

Também nas Caraíbas, a parte francesa da ilha franco-holandesa Saint-Martin ficou "95% destruída" com a passagem do Irma, disse o presidente do conselho territorial local, Daniel Gibbs.

É uma catástrofe enorme. 95% da ilha está destruída. Estou em choque. É uma loucura", declarou ao telefone com a Rádio Caraíbas Internacional.

Citada pela Reuters, a Marinha Holandesa, que tem dois navios ancorados em Saint-Martin, aponta também uma "enorme devastação" na parte holandesa da ilha. 

O perfeito da ilha de Guadalupe, Eric Maire, tinha dado conta anteriormente de seis mortos na parte francesa da ilha de Saint-Martin, nas Antilhas Pequenas.

Citado pela agência Reuters, o ministro francês do Interior disse esta quinta-feira de manhã que o Irma matou oito pessoas nas ilhas francesas das Caraíbas e provocou 23 feridos. Gerard Collomb admitiu que o número de vítimas mortais possa subir devido ao elevado grau de destruição causado pelo furacão, que esta quinta-feira ameaça a República Dominicana com ventos de 290 quilómetros por hora, depois de ter passado pela ilha de Porto Rico.

De acordo com o último boletim do Centro norte-americano de Furacões, "o olho do Irma deixou Porto Rico hoje de manhã, ameaçando agora a República Dominicana. Passará junto às ilhas Turcas e Caicos e no sudeste das Bahamas à noite”.

O olho do furacão está a 410 quilómetros este-sudeste da ilha Turca e avança a uma velocidade de 26 quilómetros por hora em direção oeste-noroeste, um movimento que os meteorologistas preveem se mantenha nas próximas 48 horas, seguindo depois para Cuba.

Leia também:

 

Cuba inicia retirada de turistas

Quatro turistas portugueses que estavam em Cayo Coco, em Cuba, serão esta quinta-feira de manhã transportados para o centro de Cuba por uma questão de prevenção, por causa do furacão, revelou o secretário de Estado das Comunidades.

Hoje, mal amanheça, as autoridades militares cubanas irão transportar quatro portugueses que estavam numa ilha, Cayo Coco, para o centro de Cuba. Estes turistas serão transferidos por uma questão de prevenção”, contou.

Cuba iniciou a retirada de mais de 36 mil turistas estrangeiros atualmente de férias na costa norte oriental e central, a mais ameaçada pelo furacão Irma, que se deve começar a sentir na ilha na sexta-feira.

No total, mais de 51 mil turistas estrangeiros encontram-se na ilha caribenha no momento, de acordo com os dados avançados numa reunião do Conselho de Defesa da Região Estratégica do Exército Oriental de Cuba, em que participou o ministro do Turismo cubano, Manuel Marrero, que explicou o plano de evacuação.

O Canadá, o maior emissor de visitantes para Cuba, está a apoiar, a partir desta manhã, o regresso dos seus turistas, que são 60% dos viajantes hospedados em hotéis nas zonas norte oriental e central da ilha, noticiou a imprensa oficial.

Irma deverá perder intensidade na Florida

O furacão deverá chegar à Florida, no sábado ou no domingo, altura em que deverá perder intensidade e descer para a categoria 4, antevê esta quinta-feira o Centro norte-americano de Furacões.

O governador republicano do estado da Florida, Rick Scott, pede à população para que não fique "sentada à espera" da tempestade e apela às pessoas para que se protejam de imediato.

 “É extremamente perigosa e mortal. Vai causar devastação. PREPAREM-SE AGORA!”, escreveu no Twitter.

 

 

ONU prevê 37 milhões de pessoas afetadas

As Nações Unidas estimaram que cerca de 37 milhões de pessoas sejam afetadas pelo furacão Irma, de categoria máxima, 5.

O porta-voz da ONU Stephane Dujarric informou que uma equipa humanitária já foi enviada para a ilha de Barbados, para trabalhar com a Agência Caribenha de Gestão de Desastres e Emergências para ajudar as vítimas do furacão. Mais equipas estão a aguardar para serem enviadas para o terreno.

Leia também: Centenas de turistas portugueses nas zonas afetadas pelo furacão Irma

Dujarric disse aos jornalistas na sede da ONU, em Nova Iorque, na quarta-feira, que dirigentes das Nações Unidas no Haiti estão a apoiar o Governo e destacaram funcionários para o norte do país, que poderá ser mais duramente atingido.

Os ‘capacetes azuis’, que estão a terminar a missão, destacaram duas unidades e alguns engenheiros para a cidade costeira de Gonaives, para abrirem estradas no norte do Haiti.

Segundo Dujarric, efetivos do exército e polícia da ONU estão também prontos para ajudar a Polícia Nacional do Haiti.