O movimento no Parlamento da Guiné-Bissau é intenso, com a chegada de vários elementos do Governo guineense e de representantes da comunidade internacional para assistirem às cerimónias fúnebres do Presidente «Nino» Vieira, escreve a Lusa.

Centenas de populares estão a concentrar-se nos passeios que ladeiam o Palácio Colinas de Boé, a situação está serena.

A zona tem alguma segurança mas não há uma presença massiva de polícias, que se concentram mais na área do perímetro do parlamento.

Corpo de Nino Vieira chega ao Parlamento

Desde as 07:00 que não há circulação de veículos automóveis nas principais vias e centros da cidade de Bissau, estando apenas autorizados veículos com livre-trânsito.

Ao parlamento guineense já chegou a primeira-dama, Isabel Vieira, vestida de preto e com um turbante na cabeça.

A primeira-dama, que apareceu pela primeira vez, desde a morte do Presidente guineense em público, quando o corpo de «Nino» Vieira foi para o Parlamento na segunda-feira à noite, chegou acompanhada pela ministra dos Negócios Estrangeiros, Adiato Nandigna.

Políticos em peso

No Palácio Colinas de Boé estão também o primeiro-ministro Carlos Gomes Júnior, e o ministro da Defesa, Artur Silva, bem como o representante do secretário-geral da ONU, Joseph Mutaboba, o chefe da missão da União Europeia para a reforma do sector de defesa e segurança, general Verastegui, a mulher do antigo Presidente guineense Kumba Ialá, Elisabete Ialá, e o antigo presidente da Guiné-Bissau, Malam Bacai Sanhá.

Dezenas de militares de todos os ramos das Forças Armadas entraram também no Palácio Colinas de Boé para prestarem uma última homenagem a João Bernardo «Nino» Vieira.

Estão também no Palácio Colinas de Boé representantes de algumas delegações, nomeadamente de Angola, liderada pelo vice-presidente do Parlamento angolano, João Lourenço, o secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros e Cooperação português, João Gomes Cravinho, que lidera também a representação da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP).

Chefes de Estado ausentes

No parlamento guineense não são visíveis quaisquer chefes de Estado, tendo a Guiné-Conacri feito representar-se pelo seu primeiro-ministro e Cabo Verde pelo embaixador em Dakar.

O antigo Presidente guineense Henrique Rosa e o ex-chefe de Estado são-tomense Miguel Trovoada também marcam presença no parlamento da Guiné-Bissau.

A representar a Igreja Católica estão o Núncio Apostólico da Guiné-Bisau, Luis Mariano Montemayor, e o bispo de Bissau, José Câmnate na Bissign.

No parlamento entraram também a selecção nacional de futebol, equipada de vermelho, verde e amarelo, e a federação nacional de ténis, também equipada, com a equipa feminina de branco e a masculina de preto com um lenço vermelho no pescoço.

Os 20 filhos de Nino Vieira

Entretanto, fonte da comissão que organiza as cerimónias fúnebres de «Nino» Vieira disse à Agência Lusa que são esperados 20 filhos de Nino Vieira, provenientes de vários países, que devem chegar de Dakar cerca das 10:00, mas é mais certo que a cerimónia seja atrasada até a sua chegada.

Os filhos de «Nino» Vieira deverão chegar acompanhados por um ministro senegalês. Na rua estão dois autocarros do Ministério da Defesa prontos para transportar os embaixadores na Guiné-Bissau e os membros do Governo.

«Nino» Vieira foi assassinado a semana passada durante um ataque à sua residência levado a cabo por militares, horas depois do atentado à bomba que matou o Chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas guineense (CEMGFA), Tagmé Na Waié, cujo funeral se realizou domingo.