Os efeitos que o álcool, o tabaco, a cafeína e a alimentação podem ter sobre a fertilidade e a função sexual masculina foram revelados, esta segunda-feira, no 70º Encontro Anual da Sociedade Americana de Medicina Reprodutiva em Honolulu, no Hawai.

Um grupo de investigadores da Universidade de Rochester, em Nova Iorque, realizou um estudo que analisa a forma como o consumo de certas substâncias influenciam a fertilidade dos homens.

Os cientistas estudaram o caso de 753 homens, com idade média de 35 anos, em que 16% são fumadores e 73% bebem álcool. Os indivíduos foram submetidos a tratamentos de fertilidade entre 2003 e 2011, e nesta pesquisa foram questionados sobre os hábitos de beber e fumar, bem como a sua saúde sexual e satisfação.

Descobriu-se que homens que fumam são mais propensos a sofrer de disfunção sexual, mas aqueles que bebem álcool têm menos hipóteses que isso aconteça. O consumo elevado de cafeína também reduz as hipóteses de se conseguir uma gravidez.

O estudo quis também perceber quais os efeitos da alimentação e, para tal, comparou os resultados de esperma de cinco vegans, 26 vegetarianos e 443 não-vegetarianos. Os vegetarianos tinham uma concentração de esperma média de 51 milhões por mililitro em comparação a 70 milhões por mililitro dos consumidores de carne. Os resultados dos vegans foram semelhantes aos dos vegetarianos.

«O organismo humano é complexo e as substâncias que inalamos e absorvemos têm outros efeitos além dos estímulos que as pessoas procuram ao consumi-las. Estes estudos fornecem novas informações que podem ajudar os homens a fazer escolhas saudáveis para si, para os seus parceiros e para os seus futuros filhos», afirmou Rebecca Z. Sokol, Presidente da ASRM.

Por isso, o conselho médico para os homens que querem ter filhos é: beba de vez em quando e coma carne, mas não fume.