Pelo menos 57 menores residentes na região japonesa de Fukushima desenvolveram cancro da tiroide desde que em março de 2011 um sismo seguido de tsunami desencadeou o pior desastre nuclear do país, revelam os últimos dados das autoridades nipónicas de saúde.

O número, apurado no relatório do comité de investigação sanitária da prefeitura de Fukushima, reporta o aumento em sete casos face aos dados apresentados em maio passado.

Os dados agora conhecidos referem-se às análises feitas até 30 de junho e mostram que foram detetados 103 casos duvidosos do tipo de cancro entre as 300 mil pessoas submetidas a análises na região e que eram menores na altura do acidente nuclear.