Dois homens condenados por homicídio conseguiram escapar da prisão de Dannemora, Estado de Nova Iorque, EUA, durante a madrugada de sexta-feira, depois de conseguirem perfurar paredes de cimento e ferro - um evento que mais parece saído de um filme de Hollywood.

É a primeira vez que alguém consegue escapar da ala de segurança máxima desta prisão, desde que foi construída em 1865, há exatamente 150 anos.

A história desta dupla parece inspirada no filme, de 1994, “Os Condenados de Shawshank" (The Shawshank Redemption), onde se conta a história de um homem que consegue fugir de uma prisão sem que nem os seus amigos desconfiem de nada. Ou da série de TV “Prison Break”, onde vários condenados conseguem fugir em virtude de um plano altamente bem elaborado por um engenheiro, que com ferramentas simples e acessíveis consegue quebrar todas as barreiras (literais e metafóricas) até à liberdade.

             
                      (Richard Matt. Foto: Reuters)                     (David Sweat. Foto: Reuters)

Com recurso a ferramentas elétricas, David Sweat, de 34 anos, condenado a prisão perpétua pelo homicídio de um xerife em 2002, e Richard Matt, 48 anos, condenado a 25 anos a perpétua por rapto, assassínio e desmembramento de um antigo chefe em 1997, conseguiram cortar paredes, com cerca de 60 centímetros de espessura, e canos de ferro no seu caminho para a liberdade. Para trás deixaram, apenas, um “post-it” com uma cara sorridente desenhada  e a frase “tenham um bom dia”.

                    
                                                          "Tenham um bom dia" (Foto: Reuters)

A partir das suas celas, os condenados destruíram as paredes das mesmas, abriram e atravessaram um cano de ferro e acabaram por conseguir sair por uma tampa de acesso aos esgotos. Nesta que é a prisão com mais detidos do Estado de Nova Iorque, com 3.000 condenados, guardados por cerca de 1.400 polícias, a questão que se coloca é: como é que ninguém ouviu o barulho das máquinas usadas para rasgar as paredes das celas e o cano? “De certeza que alguém ouviu”, é a resposta do governador do Estado, Andrew Cuomo, à ABC.

Segundo a CNN, os dois presos terão conseguido as ferramentas elétricas dentro da prisão, que podem ter sido esquecidas por funcionários da manutenção ou intencionalmente dadas aos dois presos. Para o governador tudo isso é indiferente, por enquanto o que interessa é apanhar estes dois homens.
 

“Eles são assassinos. Nunca houve dúvidas sobre a autoria dos crimes de que foram acusados. Agora estão à solta, e o nosso trabalho é apanhá-los”, acrescentou Cuomo.


Porém, a prisão fica apenas a 45 minutos de Montreal, Canadá, pelo que os condenados podem ter atravessado a fronteira antes que os guardas tivessem dado pela sua falta.

O governador oferece 100 mil doláres (perto de 90 mil euros) a quem tenha informações que leve ao paradeiro dos dois indivíduos (50 mil por cada um).