A presidência letã da União Europeia vai convocar de emergência um Conselho de Ministros da Justiça e do Interior, no qual o Tratado de Schengen será revisto, no seguimento dos atentados em França, anunciou o ministro Francês do Interior.

A convocatória será emitida «rapidamente» e servirá para debater o reforço das medidas de controlo sobre a entrada e saída de europeus das fronteiras terrestres da União Europeia, acrescentou Bernard Cazeneuve, sem apontar datas para a reunião.

O anúncio do conselho extraordinário, feito no final de uma reunião de onze ministros do Interior e Administração Interna da União Europeia, juntamente com o Procurador-geral dos Estados Unidos, surge pouco tempo antes do início da «marcha republicana» convocada para este domingo em Paris, no seguimento dos atentados que começaram na quarta-feira de manhã, com o ataque à sede do jornal satírico Charlie Hebdo.

No encontro desta manhã em Paris, os onze ministros do Interior e Administração Interna da União Europeia decidiram também rever o Tratado de Schengen para melhorar e reforçar os controlos nas fronteiras exteriores da UE das pessoas que gozam do direito de livre circulação.

Por outro lado, decidiram também reforçar a cooperação e o controlo dos movimentos dos combatentes estrangeiros e na luta contra os «vetores da radicalização», especialmente a internet.

O combate aos terroristas e às suas células constitui uma prioridade «evidente» perante o atual contexto de ameaça, destacou o ministro francês, esperando que as reuniões de hoje resultem em «ações concretas» no seio da UE.