A polícia israelita matou um cidadão palestiniano num posto de controlo perto de Jerusalém, revelou esta sexta-feira a polícia e membros da família da vítima mortal, à agência Lusa, no segundo caso de morte envolvendo tropas de Israel em 12 horas.

O porta-voz da polícia, Micky Rosenfeld, disse que o caso aconteceu por volta da meia-noite (22:00 de quinta-feira em Lisboa) quando um homem correu em direção ao guarda de fronteira empunhando uma faca, levando-o a abrir fogo.

«Um palestiniano que chegou ao local correu do seu veículo até ao polícia fronteiriço que estava em serviço», disse Rosenfeld, segundo informações do portal «Now».

«O palestiniano tinha uma faca na mão e o polícia respondeu com disparos contra o suspeito, que ficou gravemente ferido e foi declarado morto pouco tempo depois», continuou.

Membros da família identificaram o homem como sendo Anas al-Atrash, 23 anos, residente em Cijordânia, Hebron.

«Eles pararam os meus dois filhos na fronteira que estavam à espera de serem revistados. Os soldados vieram até ao carro e abriram a porta, o meu filho tentou sair e eles alvejaram-no,» disse o pai da vítima mortal, Fuad al-Atrash à AFP.

O irmão da vítima foi preso. O incidente aconteceu no «checkpoint» Wadi Nara, entre Abu Dis e Belém.

É o segundo incidente nas últimas 12 horas, já na quinta-feira forças israelitas alvejaram mortalmente um palestiniano perto do norte da Cisjordânia, Nablus, afirmando que o suspeito havia «iniciado disparos com fogo-de-artifício».