“Peço desculpa, mas para os que gostam de falar da segunda guerra mundial, se estamos a falar sobre a ocupação, podemos falar sobre isso (orações nas ruas), porque é claramente uma ocupação do território. (…) É uma ocupação de secções do território, de bairros onde a lei religiosa se aplica, é uma ocupação. Não há tanques, nem soldados, mas é uma ocupação de qualquer forma, e pesa sobre as pessoas”, disse.