A líder da Frente Nacional (FN) pediu este sábado aos militantes do seu partido de extrema-direita que participem nas manifestações contra o terrorismo, com exceção da marcha convocada para Paris, por a FN sido excluída.

«Marcharemos ao lado do povo francês, com o povo francês, único e indivisível, em todos os locais, menos na marcha parisiense», informou Mariane Le Pen, numa mensagem vídeo.

A edição online do jornal Le Figaro informou que Le Pen vai participar na manifestação agendada para Beaucaire, uma localidade do sul da França e com executivo local da FN.

A manifestação de Paris, na qual está prevista a presença de autoridades estrangeiras, foi considerada pela líder como «sectária» e «sequestrada pelos partidos».

O presidente francês, François Hollande, tinha afirmado que qualquer francês podia participar nas manifestações, mas alguns organizadores da marcha de Paris afirmaram-se contra a presença da FN, por considera-lo um partido racista e anti-imigração.

O primeiro-ministro, Manuel Valls, afirmou hoje que a marcha de domingo deve ser uma mostra de «unidade e uma reivindicação de laicidade» da França, assim como dos valores republicados, que foram ameaçados pelos ataques desta semana, que provocaram 17 mortos.