«Como responde aos que o acusam de praticar arquitetura-espetáculo?» A esta questão, Frank Gehry, de 85 anos, respondeu com um «pirete» seguido de um silêncio incómodo que invadiu a sala onde decorria a conferência de imprensa, num hotel em Oviedo, Espanha.

O arquiteto canadiano Frank Gehry não gostou de ser questionado sobre algumas críticas ao seu trabalho, durante uma conferência de imprensa, e surpreendeu os jornalistas com a sua reação.

«Deixem-me dizer-lhes uma coisa. No mundo em que vivemos, 98% do que se constrói e do que se desenha é pura merda. Não há sentido no desenho, nem respeito pela humanidade, nem por nada. São malditos edifícios e já está. De vez em quando há um pequeno grupo de pessoas que fazem algo especial. Não peço trabalho. Não tenho publicitários. Não estou à esperem que me chamem. Trabalho com clientes que respeitam a arte da arquitetura. Por isso, não façam perguntas estúpidas como essa», acrescentou.

No entanto, Gehry não se ficou por aqui. Sempre de dedo levantado, foi respondendo a outras perguntas. No final, o Prémio Príncipe das Astúrias das Artes afirmou, antes do verdadeiro pedido de desculpa, que estava «cansado e atordoado da viagem».

«Peço desculpa. Apanharam-me deslocado e tive essa reação. Desculpam-me?», perguntou aos jornalistas.