O presidente francês defendeu, esta sexta-feira, em entrevista ao jornal «Le Monde» que o chumbo do parlamento britânico a uma intervenção militar na Síria não muda a vontade da França, escreve a Reuters.

Francois Hollande continua a defender uma «ação punitiva» contra o regime de Bashar al-Assad, pelo uso de armas químicas contra civis. Alega que foi causado «um dano irreparável na população síria» e assegura que está disposto a trabalhar com os aliados na procura de uma solução para este problema.

Questionado pelo «Le Monde» sobre se participaria numa intervenção militar sem o Reino Unido, Hollande foi claro na resposta: «Sim. Cada país é livre de participar ou não numa operação. Isso é tão válido para o Reino Unido, como para a França».

Ao contrário do seu congénere britânico, Francois Hollande não depende do parlamento francês para decidir sobre uma eventual ação na Síria.