O presidente François Hollande afirmou, esta quarta-feira, que não vai prosseguir com os planos para a alteração da constituição para que seja incluída uma cláusula que permita a retirada da nacionalidade francesa a terroristas condenados.

Hollande decidiu “terminar o debate” sobre a proposta, que recebeu fortes críticas da oposição no parlamento, que considera a medida simbólica e ineficaz.

Parte da oposição tem sido hostil a uma revisão da constituição, uma atitude que lamento. Decidi terminar este debate”, disse o presidente francês, segundo a Reuters.

A medida que previa a retirada dos passaportes a terroristas condenados tinha sido apresentada três dias após os atentados de Paris, que mataram 130 pessoas. 

O plano do presidente francês para inscrever na constituição as regras em vigor em caso de acionado o estado de emergência – prolongado até final de maio – também foi abandonado.