O maquinista envolvido no trágico acidente ferroviário na Galiza está já na esquadra de polícia de Santiago de Compostela.

De acordo com a imprensa espanhola, Francisco José Garzón dispensou o apoio de um psicólogo. Amanhã deverá depor diante de um juiz.

Esta manhã teve alta tendo sido transferido para as instalações locais da polícia nacional, onde foi comunicado que é acusado por um crime de homicídio por negligência.

O anúncio foi feito pelo ministro do Interior espanhol, Jorge Fernández Díaz. Anteriormente, numa visita ao local do acidente, o ministro tinha justificado a detenção do maquinista com o argumento de que «há indícios racionais para crer que pode ter responsabilidade eventual no sucedido».

«Quando estiver em condições de prestar declarações, e caso assim o deseje, porque pode fazê-lo, a polícia vai coloca-lo à disposição do juiz. A partir daí será a investigação já aberta pelas autoridades ferroviárias que têm de pôr as provas à disposição do juiz», frisou o governante.