As autoridades francesas identificaram já um dos oito terroristas responsáveis pela morte de pelo menos 128 pessoas: trata-se de um cidadão francês, de 30 anos, que estava referenciado pelos serviços secretos, escrevem vários órgãos de comunicação franceses, citando fontes da investigação.

O corpo foi encontrado na sala de espetáculos Bataclan, onde morreram cerca de 80 pessoas que ali assistiam a um concerto, e identificado através das impressões digitais.

A identidade do homem não foi revelada pelas autoridades, nem o seu percurso como provável militante do Estado Islâmico, mas tratar-se-á de um homem natural de Courcouronnes, a cerca de 35 quilómetros de Paris, conhecido da polícia e dos serviços de informações por ligações ao jihadismo. 
 
As autoridades encontraram um  passaporte sírio e um egípcio  junto aos restos mortais de um dos bombistas que se fez explodir junto ao Estádio de França, avança a agência Reuters que cita fonte da investigação.

Em Bruxelas foi detido um homem com ligações aos ataques de Paris. Está a decorrer uma operação policial na capital belga, depois de as autoridades terem realizado buscas no bairro Molenbeek, onde residiriam três dos homens envolvidos nos atentados em França.


Os atentados de Paris na noite de sexta-feira foram cometidos por, pelo menos, oito terroristas, sete dos quais bombistas suicidas que se fizeram explodir, enquanto outro foi abatido pela polícia no Bataclan.

Segundo dados preliminares da investigação, o sangue frio dos atiradores prova que são profissionais treinados e que têm o perfil de jihadistas provenientes de zonas de combate no Médio Oriente.