O primeiro transplante total da laringe foi realizado com êxito por uma equipa médica dos Hospitais Universitários de Estrasburgo, no norte de França, foi hoje divulgado.

Christian Debry, responsável pela equipa médica, disse que a operação «está apenas na sua fase inicial de viabilidade».

«Ainda temos de realizar muitos exames médicos antes do implante de laringe artificial se tornar um processo de rotina para o tratamento de doentes», adiantou num comunicado, citado pela agência noticiosa espanhola EFE.

O doente, um homem de 65 anos com um cancro da laringe, foi operado pela primeira vez em junho de 2012 para lhe ser amputada a laringe e colocada uma primeira prótese de titânio.

«O anel traqueal que colocámos procurava restabelecer a ligação assegurada normalmente pela laringe entre a base da língua e a parte restante», indicou Debry.

Os biomateriais e o titânio na prótese tinham a capacidade de se incorporar nos tecidos da garganta e tornar-se ¿parte integral¿ desta, precisou.

Duas semanas depois, o doente foi operado novamente para se inserir, «no anel traqueal, um dispositivo móvel constituído por válvulas».

Debry dedica-se há cerca de duas décadas à investigação juntamente com organismos como o Instituto Nacional da Saúde e Investigação Médica para a descoberta de ¿biomateriais¿ capazes de substituir a laringe.

O presidente da empresa responsável pela prótese, a ProTip, Maurice Bérenger, assinalou que a nova operação dá «esperança aos doentes com cancro da laringe» que «no futuro, (...) poderão recuperar a capacidade de respirar, mas também de falar e comer normalmente».