A polémica que envolve a deslocação do primeiro-ministro francês, Manuel Valls, a Berlim para assistir à final da Liga dos Campeões conheceu esta quinta-feira um novo capítulo.

O governante, que viajou com os filhos no avião presidencial para ver a final entre Barcelona e Juventus, uma viagem que terá custado ao erário público cerca de 16 mil euros (entre voo, tripulação,  deslocação de um médico auxiliar, guardas e conselheiros do primeiro-ministro), decidiu cobrir do próprio bolso os gastos com os filhos.

Manuel Valls tinha inicialmente explicado que se deslocou à Alemanha por motivos de trabalho, uma vez que Paris vai acolher o Europeu de 2016 e que foi a convite do presidente da UEFA, Michel Platini, mas a justificação não convenceu a opinião pública que acusou o primeiro-ministro de viajar apenas para ver a sua equipa, o Barcelona.

"Sensível à reação dos franceses", o primeiro-ministro decidiu assumir as despesas dos filhos, mas recusou assumir as suas também, por entender que a viagem fazia parte dos seus deveres enquanto ocupante daquele cargo.

“Não voltaria a fazê-lo. E, para desfazer qualquer dúvida, decidi assumir os custos dos meus filhos, ou seja, 2.500 euros”, afirmou.