O presidente da câmara de Champlan, uma vila francesa a poucos quilómetros de Paris, terá alegadamente recusado o funeral de um bebé de etnia cigana, argumentando que o cemitério tinha pouco espaço e que a «prioridade é dada aos locais que ali pagam impostos», segundo escreveu o «Le Parisien».





# honte