Os imigrantes ilegais, provenientes principalmente da Somália, da Eritreia e do Sudão, queriam passar a fronteira para França, que fica mesmo junto a Ventimiglia, mas as autoridades gaulesas não o permitiram. Isto passou-se durante o fim-de-semana e, desde essa altura, os imigrantes recusaram todos os apelos para saírem da localidade.

Alguns instalaram-se mesmo em cima de rochas, junto ao mar, e iniciaram uma greve de fome em protesto pela atitude francesa.

Na manhã desta terça-feira, a polícia italiana decidiu atuar. Dezenas de homens, mulheres e crianças foram levadas à força para dentro de um autocarro que os terá transportado para a estação de caminho-de-ferro local. A polícia diz que lhes será dada assistência naquelo local.

A rerirada dos imigrantes gerou cenas de grande dramatismo. Várias mulheres choravam desesperadamente; outras pessoas agarravam-se a sinais de trânsito, numa tentativa infrutífera de travar a saída.

As últimas informações disponíveis indicam que cerca de 60 pessoas e ainda estão na zona rochosa junto ao mar, mas não é crível que a polícia italiana as deixe ficar naquele local por muito mais tempo.