Dois candidatos às eleições presidenciais em França, a dirigente de extrema-direita Marine Le Pen e o conservador François Fillon cancelaram hoje as suas ações previstas para sexta-feira, último dia da campanha, após o ataque em Paris.

A três dias da primeira volta da eleição presidencial francesa, que decorre sob vigilância elevada devido à ameaça terrorista, um polícia foi morto e dois outros ficaram gravemente feridos num tiroteio na famosa avenida dos Campos Elísios, em Paris, cujo autor foi abatido.

Os 11 candidatos presidenciais participam hoje à noite numa entrevista televisiva.

O Presidente francês, François Hollande, confirmou esta noite que um polícia morreu e dois ficaram feridos no ataque e afirmou que as pistas apontam para um caso de terrorismo.

"Estamos convencidos, as pistas que podem conduzir a investigação são de ordem terrorista", afirmou o Presidente, numa declaração hoje à noite.

A procuradoria francesa anunciou ter aberto uma investigação de terrorismo ao ataque nos Campos Elísios, em Paris, contra agentes policiais, cerca das 21:00 locais, menos uma hora em Lisboa.