O antigo primeiro-ministro e líder histórico do socialismo francês Michel Rocard morreu neste sábado, aos 85 anos, informou a emissora BFM TV.

Rocard, que exerceu o cargo de chefe do Executivo durante o mandato do presidente François Mitterrand, de 1988 a 1991, liderou a ala moderada do Partido Socialista e era considerado um europeísta convicto.

Michel Rocard defendeu por isso, numa das suas últimas intervenções públicas, a saída do Reino Unido da União Europeia. Para o antigo primeiro-ministro francês a presença dos britânicos impedia o bloco europeu “de avançar”.

Conhecido pelas posições pró economia de mercado, Michel Rocard dizia-se socialista liberal, defendendo uma "segunda Esquerda" social-democrata.

Rocard foi ainda há poucos dias capa da revista Le Point com a frase: "A esquerda francesa é a mais retrógrada do mundo", numa altura em que as tensões sociais marcam o panorama do Hexágono em greves e protestos contra uma reforma laboral socialista liberal.

O Presidente francês já lamentou o desaparecimento do líder histórico. Para François Hollande, “desapareceu uma grande figura da República e da esquerda” que encarnava “a utopia conciliatória do socialismo moderno”.

Em comunicado, citado no jornal Le Figaro, François Hollande fala de "uma grande figura da República e da Esquerda", de um homem que "nunca dissociava a sua ação das ideias", "sonhador realista, reformista radical" e defensor do planeta. Michel Rocard era também um reconhecido ecologista.