A dirigente de extrema-direita francesa Marine Le Pen provocou na terça-feira indignação com a proposta de um programa para “erradicar a imigração bacteriana”, posição que mereceu o repúdio dos seus adversários políticos.

A proposta da líder da Frente Nacional (FN) foi revelada pelo jornal La Voix du Nord, de cariz local, numa secção especial dedicada aos programas eleitorais das nove listas concorrentes às eleições regionais.

No programa eleitoral, na parte dedicada à saúde, Marine Le Pen, candidata da FN, a quem as sondagens dão a vitória, manifesta intenção de “denunciar e erradicar toda a imigração bacteriana”.

"Os hospitais são confrontados com a presença alarmante de doenças contagiosas não europeias relacionadas com os fluxos migratórios. Nós recusamo-nos a pôr em perigo a saúde dos nossos compatriotas", argumentou.

A Frente Nacional foi, de imediato, acusada pela Liga dos Direitos Humanos francesa de "assumir posições abertamente racistas".

O responsável pela imprensa da campanha da Frente Nacional, Sébastien Chenu, admitiu à agência France Presse, que foi um "deslize", acrescentando que a versão oficial do programa vai ser divulgada no sábado.