O ex-primeiro-ministro francês Manuel Valls anunciou esta terça-feira que abandona o Partido Socialista, após 37 anos de militância. O antigo governante sublinhou, numa entrevista à rádio RTL, que se enquadra na maioria parlamentar do novo presidente, Emmanuel Macron.

Nesta entrevista, Valls disse que se “passou uma página”, referindo-se às presidenciais francesas e às eleições legislativas que lhe garantiram a reeleição como deputado.

Por coerência quero estar no centro desta maioria (liderada por Macron). Acaba-se uma parte da minha vida política”, afirmou.

Quando anunciou que seria candidato às legislativas de junho pelo novo partido do presidente, Macron, Valls deixou duras críticas ao Partido Socialista, afirmando que esta força política "não tem futuro".

O Partido Socialista está morto. Ficou para trás, não representa a sua história e os seus valores”, disse, numa entrevista à estação de rádio da cadeia RTL.