Um homem armado com uma navalha atacou um soldado que patrulhava o metro de Paris, esta sexta-feira. O atacante já foi detido, como confirmou a ministra das Forças Armadas francesa, Florence Parly, em declarações à rádio Europe 1.

O incidente ocorreu eram 6:30, na estação de metro de Châtelet. De acordo com o jornal Le Figaro, que cita as autoridades francesas, o agressor foi rapidamente dominado pelo militar, depois de ter feito referências a Alá.

O soldado, que pertence à Operação Sentinela, não ficou ferido. Recorde-se que a Operação Sentinela foi criada após os atentados que ocorreram em Paris, em 2015, e que colocaram o país em estado de alerta máximo.

A ministra Florence Parly explicou que ainda não são conhecidas as motivações do atacante. 

"Não conhecemos as intenções do agressor", sublinhou a governante à Europe 1. 

Entretanto, o governo francês já fez saber que foi aberta uma investigação anti-terrorista ao incidente. O anúncio foi feito pelo porta-voz do executivo, Christophe Castaner.

Fonte ligada à investigação, citada pela Reuters, revelou que o atacante é um homem de cerca de 40 anos, nascido em Marrocos, sem cadastro. 

De acordo com a mesma fonte, a polícia está a efetuar buscas na morada que está associada ao suspeito.