O governo francês lançou online um vídeo que visa dissuadir os jovens de se juntarem ao Estado Islâmico. 


#Stopdjihadisme : Ils te disent que tu... by gouvernementFR

O vídeo, com dois minutos, mostra cenas de grande violência em cenário de conflito e execuções. 

Este é, por isso, um dos passos dados pelas autoridades francesas no combate ao terrorismo (veja o site - «Stop Jihadism») após os ataques de Paris no início do mês, juntamente com um reforço de milhares de efetivos policiais e dos serviços secretos anunciados pelo primeiro-ministro há duas semanas, segundo a imprensa.

Na altura, Manuel Valls assumiu que três mil cidadãos estavam a ser monitorizados em França por suspeitas de ligações aos grupos jihadistas. 

Os ataques ao jornal que satirizou Maomé, «Charlie Hebdo», e a um supermercado judaico na capital francesa fizeram mais de duas dezenas de mortos. As condolências chegaram ao Eliseu de todas as partes do mundo e incluindo do mundo muçulmano que não se revê no Estado Islâmico. 

Setenta anos depois da II Guerra Mundial, a Europa unida e sem fronteiras, treme. Esta quinta e sexta-feira, os ministros dos 28 estão reunidos em Riga precisamente para debater as retrições nas fronteiras. Afinal, os terroristas autores dos ataques em França tinham nacionalidade francesa e porta de acesso livre a qualquer dos países do espaço Schengen.