O Estado Islâmico terá reivindicado o atentado de Nice, avança o jornal francês Le Figaro. Até ao momento o ataque levado a cabo por Mohamed Lahouaiej Bouhlel, ao volante de um camião e que roubou a vida a, pelo menos, 84 pessoas, não tinha sido reivindicado.

Mas este sábado, através das redes sociais, como habitualmente, o Estado Islâmico, descreveu Mohamed Lahouaiej Bouhlel como um "soldado".

 

"A pessoas que levou a cabo a operação em Nice, França, para atingir pessoas era um soldado do Estado Islâmico", lê-se na declaração divulgada pela agência de notícias Amaq.

"Ele levou a cabo uma operação em resposta ao nosso pedido de atingir os países envolvidos na coligação internacional que luta contra o EI", conclui a mesma declaração.

Novas detenções em Nice

Este sábado há ainda informação sobre vários detidos pelas autoridades. Segundo a Reuters, a polícia francesa avançou com a informação de três pessoas levadas para interrogatório. No entanto, a Agência de notícias AFP fala em quatro detidos.

Recorde-se que a ex-mulher do condutor foi detida para interrogatório sexta-feira e continua sob custódia das autoridades.

Certo é que foram levadas a cabo novas buscas este sábado. O jornalista da Reuters descreve ter visto, pelo menos, 40 agentes da polícia especial numa diligência na Rua Miollis, a norte da estação central de Nice.

Segundo as autoridades, todas as detenções visaram "pessoas próximas" de Mohamed Lahouaiej Bouhlel, e foram levadas a cabo em duas zonas da cidade.