As imagens de videovigilância captadas na pizzaria Casa Nostra na noite dos atentados em Paris, e divulgadas no dia 19 de novembro pelo site britânico “Daily Mail”, foram vendidas por 50.000 dólares (46.969 euros). O valor da transação foi revelado por um jornalista cujo trabalho foi difundido no “Petit Journal” do Canal Plus, uma estação de televisão francesa.

Djaffer Ait Aoudia fazia um perfil do dono do restaurante quando se apercebeu das negociações entre o proprietário do estabelecimento e os jornalistas britânicos, acabando por gravar a transação através de uma câmara oculta, refere o jornal francês “Le Figaro”.

As negociações começaram nos 12 mil euros, antes de subirem para 20.000, depois 28.000 e culminarem numa quantia muito superior. De acordo com o relato do repórter, os 47 mil euros acordados foram entregues em notas de 50 euros, levantadas por oito pessoas diferentes, já que os jornalistas britânicos, de início, não tinham com eles uma quantia tão elevada, o que demorou mais de 12 horas.

As imagens, que originalmente são criptografadas pela polícia (e que portanto necessitam de um código) para serem usadas em investigações, foram descodificadas por um “hacker”, amigo do dono do restaurante. O disco rígido foi depois destruído no local para assegurar a exclusividade do vídeo difundido pelo “Daily Mail”.