A morte de Diesel, uma cadela que era membro da equipa de polícia antiterrorista francesa, conhecida por RAID, chocou o mundo. O animal foi morto pelos terroristas durante as operações no bairro de Saint-Denis, em Paris, após os atentados de 13 de novembro na capital francesa. Em entrevista à rádio RMC, no domingo, o polícia e treinador de Diesel falou pela primeira vez sobre a perda da cadela de raça pastor belga e sobre o que se passou naquele dia.

De acordo com o “The Huffington Post”, o polícia, que preferiu falar sob anonimato, recordou o que aconteceu à cadela durante a operação. O operacional revelou que depois da troca de vários tiros e granadas houve um momento de silêncio. Um período de calma que fez as autoridades acreditar que os suspeitos estavam fora de ação. Foi nesse momento que Diesel foi enviada ao apartamento para fazer um reconhecimento do local.

“Ela fez uma ronda pelo primeiro quarto, depois passou para o segundo e correu. Nesse momento perdi-a de vista e a troca de tiros começou outra vez”, contou o polícia. Estes disparos foram fatais para Diesel, que provavelmente terá morrido instantaneamente.


O treinador de Diesel recordou que a cadela evitou seguramente a morte de vários polícias e explicou que estes cães são altamente treinados e não podem ser substituídos por robôs ou drones.

Ao contrário de robôs e drones, o “papel do cão é abrir caminho para a equipa. Ele utiliza todos os sentidos para detetar a presença de alguém, a audição a vista, o faro”, explicou o dono de Diesel.  

O polícia acrescentou que estes cães desenvolvem capacidades que resultam de muito trabalho e dedicação, baseados numa relação de cumplicidade entre cão e treinador.  

”É uma relação de confiança mútua, ela tinha toda a confiança em mim, eu tinha toda a confiança nela, ambos sabíamos como é que o outro ia reagir no terreno”, afirmou.  


A morte de Diesel afetou todos os membros da equipa, mas também comoveu o mundo, que rapidamente começou a partilhar a imagem de Diesel nas redes sociais. “Todas as mensagens de apoio são muito importantes para superar a perda da Diesel”, agradeceu o polícia.