Localizado junto um lago artificial, na famosa região do Vale do Loire, em França, o castelo de La Mothe-Chandeniers acaba de se tornar na maior propriedade coletiva do mundo. O castelo foi comprado por 18.600 pessoas através de uma campanha de crowdfunding (ou financiamento coletivo). Este método, que consiste numa angariação de fundos para um determinado projeto, através de uma comunidade que partilha o mesmo interesse, começou há três meses, terminou no dia de Natal e o resultado não podia ser mais animador.  

Tudo começou graças à iniciativa da plataforma de financiamento Dartagnans, um site que se dedica a tentar salvar o património cultural de França. Assim que tiveram conhecimento do estado de degradação em que o edifício se encontra, os responsáveis pela plataforma lançaram um pedido de ajuda a todos os utilizadores. A Internet juntou-se para salvar o castelo e angariou cerca de 1,6 milhões de euros, tornando-se o castelo de La Mothe-Chandeniers na maior propriedade patrimonial coletiva do mundo, conforme escreve o jornal espanhol El País.

"Foi a primeira vez que a compra coletiva de um monumento foi proposta e o sucesso é histórico", assegurou Roman Delaume, responsável pela operação na web especializada em financiamento popular, à agência de notícias EFE. 

Apesar do visível estado de abandono, o valor histórico do castelo é inquestionável. Trata-se de uma fortaleza que remonta ao século XII, altura em que foi ocupada pelos ingleses duas vezes na Idade Média. Ficou parcialmente destruída durante a Revolução Francesa, mas foi comprada em 1809 por um empresário rico. Anos mais tarde, em 1932, ocorreu um incêndio, que terá sido fatal e terá danificado grande parte do interior e exterior do edifício. 

Roman Delaume espera que agora, os cerca de 18.600 proprietários do castelo, ajudem a restaurar este lugar histórico, uma vez que até arquitetos e engenheiros integram a longa lista de compradores. 

Prevê-se que a assinatura para fechar a venda entre o proprietário do castelo, um octogenário de Maine-et-Loire, e os compradores seja feita já no início do mês de janeiro.