Investigadores judiciais franceses encontram-se esta quarta-feira na sede social do grupo francês Lactalis, na cidade de Laval, e nas instalações da fábrica de onde saíram os lotes de leite para bebés contaminados com salmonela.

O leite contaminado foi exportado para 83 países, mas Portugal não faz parte dos pontos onde o produto foi comercializado.

Segundo a France Presse, os procuradores e agentes da polícia encontram-se nas instalações da empresa no quadro do inquérito preliminar do caso de saúde pública que começou no passado dia 22 de dezembro.

De acordo com o balanço mais recente, 35 crianças foram diagnosticadas em França com a bactéria salmonela depois de terem consumido um leite produzido pela Lactalis.

A bactéria salmonela causam intoxicações alimentares, além de gastroenterite benigna e outras infeções mais graves.

São particularmente perigosas em crianças pequenas, pessoas idosas ou com sistema imunitário débil.

Em dezembro, a empresa já tinha procedido à retirada de vários lotes de leite em pó e na altura a direção de comunicação do grupo Lactalis disse à Lusa que os pacotes em causa não são comercializados em Portugal.