Khadafi quis dar 50 milhões à campanha de Sarkozy

Documento revelado por site francês sobre campanha para as presidenciais de 2007

Por: Redação / PO    |   29 de Abril de 2012 às 13:47
Um documento dos serviços secretos revela que Muammar Khadafi estava disposto a disponibilizar 50 milhões de euros para financiar a campanha eleitoral de Nicolas Sarkozy, em 2007.

O documento foi revelado pelo site Mediapart e não esclarece se o financiamento se efetivou.

O documento, datado de 10 de Dezembro de 2006, foi assinado por Moussa Koussa, chefe dos serviços secretos líbios à data que, no decorrer da sangrenta guerra que depôs o regime, escapou para o Ocidente.

O site Mediapart revela ter obtido o documento, em árabe, através de altos responsáveis líbios na clandestinidade.

O documento prossegue a uma reunião ocorrida a 6 de Outubro de 2006, onde foi revelada a intenção verbal de financiamento. Nesta reunião terão participado o ex-ministro Brice Hortefeux e várias figuras do regime de Khadafi, como Ziad Takieddine, encarregado de negócios internacionais do coronel. Brice Hortefeux já desmentiu qualquer participação na referida reunião.

Esta não é a primeira vez que se fala em dinheiro líbio na anterior campanha de Sarkozy, que no próximo domingo tentará ser reeleito presidente de França contra o socialista François Hollande.

A campanha de Nicolas Sarkozy já pediu uma investigação sobre as acusações feitas pelo jornal.
PUB
Partilhar
EM BAIXO: Nicolas Sarkozy em campanha (Reuters)
Nicolas Sarkozy em campanha  (Reuters)

COMENTÁRIOS

PUB
Operações irregulares no BES «fora do radar» de ex-administrador

Joaquim Goes alega que as cartas de conforto «não eram do conhecimento da maioria dos membros da comissão executiva». «Entre as quais, eu próprio», assegura. Estas cartas foram passadas BES à petrolífera venezuelana PDVSA e resultaram em elevadas imparidades ao banco no primeiro semestre de 2014. Depois disso, foi o fim.