Dez turistas foram detidos no Camboja após publicarem nas redes sociais um conjunto de fotografias consideradas pornográficas, tiradas na cidade de Siem Reap, próximo do popular templo de Angkor, relata a comunicação social local.

Os suspeitos, de nacionalidade britânica, canadiana e neozelandesa, enfrentam uma pena máxima de um ano de prisão, segundo o jornal The Phnom Penh Post.

De acordo com o relatório policial, divulgado online, as autoridades foram chamadas na quinta-feira a um lugar “onde se exibiam imagens e ferramentas pornográficas”.

Segundo o documento, 77 pessoas foram levadas para instalações policiais para prestarem declarações, mas só foram detidos os dez alegados organizadores da iniciativa na qual foram tiradas as fotografias, sendo que as restantes foram colocadas em liberdade.

A comunicação social avança que as imagens foram tiradas numa festa privada em que vários dos participantes posaram em posições sexuais.

Nos últimos anos, as autoridades cambojanas tomaram medidas contra os turistas que revelaram comportamentos considerados indecorosos para o país.

Em 2015, dois turistas oriundos dos Estados Unidos foram detidos e deportados após se terem fotografado parcialmente nus num local remoto do complexo arquitetónico de Angkor Wat, um lugar sagrado para a população e a principal atração turística do país.

O mesmo aconteceu com três franceses, no ano passado, após publicarem fotografias em trajes menores no recinto religioso, classificado como Património da Humanidade pela Unesco – Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura.