As redes sociais foram inundadas por imagens da intervenção policial na Catalunha, no domingo, quando a Guardia Civil e a Polícia Nacional tentaram impedir a realização de um referendo pela independência da região considerado ilegal pelo governo de Madrid. Mas embora ninguém possa negar as imagens do conflito, algumas há que não têm, afinal, nada a ver com o que realmente aconteceu.

O diário francês Le Monde e o espanhol El País alertam para fotografias e vídeos que não correspondem a acontecimentos durante o referendo de 1 de Outubro.

Atos de violência verdadeiros, mas também imagens às vezes falsas. (…) Certas cenas de violência foram imortalizadas pelos internautas e circularam nas redes sociais nestas últimas horas. Mas outras mensagens igualmente difundidas contêm imagens manipuladas”, destacou na segunda-feira a secção “Les décodeurs” do jornal francês, que se dedica a verificar informações que circulam na Internet.

O Le Monde analisa, em concreto, três fotografias e um vídeo, em que descodifica o que foi alterado.

A primeira imagem é um vídeo partilhado no Twitter que mostra a polícia antimotim a bater com bastões em pessoas que estão na rua e onde se alega que “A polícia espanhola ataca os votantes catalães”. 

O Le Monde assegura que o vídeo é de novembro de 2012 e foi filmado durante uma manifestação contra a austeridade em Tarragona.

Estas imagens não têm qualquer relação com a votação organizada no domingo, 1 de outubro. Na verdade, remontam a 14 de novembro de 2012, numa manifestação contra a austeridade em Tarragona (Catalunha), na qual os manifestantes foram reprimidos pelos Mossos d’Esquadra (polícia regional catalã)”, refere o jornal.

 

Outro caso é o de uma fotografia publicada no Facebook onde se vê um polícia de bastão em punho a ameaçar um homem numa cadeira de rodas. Na legenda, escrita em italiano, pode ler-se: “O dia em que a Catalunha votou pela sua independência, esta é uma das imagens que espero dê a volta ao mundo. A polícia espanhola sem problemas em ameaçar um deficiente com um bastão”. 

A imagem, apesar de verdadeira, remonta a 2011, e documenta uma intervenção policial contra o movimento dos indignados na Catalunha.

A fotografia é bem real, mas também é antiga. Na realidade foi tirada em 2011, durante uma intervenção policial contra o movimento dos ‘indignados’ na Catalunha”, sublinham os investigadores da equipa “Les décodeurs” (“Os descodificadores”, em português).

Uma outra imagem, apresentada no Twitter como sendo “digna de um Pulitzer”, um grupo de agentes da Guarda Civil enfrenta manifestantes catalães que supostamente empunham uma “estelada” (a bandeira independentista catalã).

A fotografia terá, no entanto, sido manipulada. O Le Monde demonstra que na foto original não havia nenhuma bandeira e que esta foi acrescentada digitalmente mais tarde.

Uma última fotografia “descodificada” pelo jornal francês mostra um grupo de bombeiros catalães a fazer frente à polícia antimotim. Foi publicada no Twitter com a legenda: "Os corajosos bombeiros colocam-se à frente para proteger a população que quer votar".

Mais uma vez, a imagem é verdadeira, só que foi tirada em 2013, em Barcelona.

Novamente, esta foto não tem qualquer relação com a atualidade. Trata-se de uma imagem tirada pelo fotógrafo da agência Associated Press, Paco Serinelli, durante manifestações contra a austeridade a 29 de maio de 2013, em Barcelona, na qual participaram os bombeiros”, explicam os investigadores do Le Monde.

A este conjunto de fotografias analisadas pelo Le Monde, o jornal espanhol El País acrescenta duas:

Uma imagem publicada no Twitter mostra um homem agredido na cabeça com alguém a limpar-lhe o sangue. “Mais imagens de violência policial em Barcelona. Onde está a Comissão Europeia? Rajoy é um fascista”, lê-se na legenda.

De acordo com o El País, a foto foi tirada por Javier Bauluz, jornalista e diretor do Periodismo Humano e foi publicada por esse jornal. Foi tirada a 12 de julho de 2012, quando a polícia carregou sobre manifestantes durante um protesto de mineiros.

Por último, a fotografia de um menor ferido, com a legenda: "Vergonha de um Estado fascista a agredir o seu povo. Metam a vossa democracia no c* filhos da p***"

(Reprodução El País)

A imagem, verdadeira é certo, não está contudo relacionada com o dia do referendo. Corresponde, na realidade, ao dia 14 de novembro de 2012, altura em que um rapaz de 13 anos foi ferido durante uma carga policial em Tarragona e em que, dessa vez, os agentes agressores foram os catalães Mossos d’Esquadra, refere o El País.