Quantas vezes os maiores pontos turísticos do mundo são fotografados por dia? Já imaginou, por exemplo, a quantidade de flashs à volta do Cristo Redentor, no Rio de Janeiro? O alvo da fotografia até pode ser quase sempre o mesmo para os turistas, mas o fotografo britânico Oliver Curtis decidiu fazer o inverso: fotografar os monumentos ao contrário. 

Num álbum fotográfico intitulado "Volte-face", o artista registou o que se passa à volta, ou por trás dos pontos turísticos mais conhecidos no mundo. A ideia começou em 2012, com as pirâmides de Gizé, no Egito. 

Depois disso, o fotógrafo britânico registou diversos locais turísticos e os monumentos 'ao contrário', mas nem sempre é fácil reconhecê-los: 

Este é o "volte-face" do Taj Mahal, na Índia. Os registos fotográficos permitem que se conheça o espaço envolvente dos edifícios que todos os anos são alvo de flashs de milhares de turistas. Por exemplo, esta fotografia mostra o que se passa em frente à Mona Lisa, no museu do Louvre, em Paris:

O trabalho de Curtis resultou numa exposição, que poderá ser vista na Royal Geographical Society, em Londres, de 19 de setembro até 14 de outubro.