O jornalista iraniano Hussein Javadi publicou uma fotografia na rede social Instagram poucas horas antes de ter embarcado no voo da GermanWings que se despenhou nos Alpes franceses com 150 pessoas a bordo.  O momento foi captado da janela do Hotel Hespiria, onde estava hospedado em Barcelona, e partilhado pelo amigo Mayzam Bizær, em jeito de homenagem, no Twitter. 
 
Javadi era jornalista desportivo no «Vatan Emrooz». Foi a Barcelona assistir ao «El Clasico», o jogo de futebol entre o Barcelona e o Real Madrid e ia cobrir a partida entre o Irão e o Chile, na Áustria. Não chegou ao destino pretendido depois da queda do Airbus A320, onde viajava.

O amigo Bizær afirmou ao «Evening Standard» que o jornalista era um homem «generoso, afetuoso, com uma grande paixão pelo trabalho e pelo futebol».

Javadi é apenas uma entre as várias vítimas que partilharam os derradeiros momentos antes da tragédia. 
 
Elena Bless, uma jovem alemã de 16 anos, que viajava com alguns colegas de turma a propósito de um programa de intercâmbio, também trocou várias mensagens com os amigos antes do desastre.

«Ela estava a mandar mensagens pelo WhatsApp e pelo SnapChat e estava muito feliz com a viagem. Tinha-se divertido muito», afirmou a melhor amiga e colega de turma Philippa.


Esta sexta-feira, informações sobre o copiloto do Airbus A320, que teve intenção de destruir o avião, Andreas Lubitz, indicam que o alemão estava a receber tratamento psiquiátrico e que sofria de «uma depressão profunda».


LEIA MAIS: As histórias e os rostos da tragédia