Mais de 20 por cento das crianças em Nova Iorque vivem em lares onde não existem alimentos suficientes, um aumento de 10% face aos últimos quatro anos, revela-se num estudo hoje publicado.

O inquérito da «Coligação contra a fome» em Nova Iorque é o mais recente a indicar as impressionantes desigualdades da cidade, onde habitam alguns dos principais milionários e supermilionários do mundo.

A Coligação explica que o aumento do número de crianças com insuficiência alimentar está relacionado com o devastador furacão Sandy em finais de 2012, que deixou muitas pessoas sem-abrigo, os cortes orçamentais nos programas sociais e uma economia norte-americana ainda débil.