Um incêndio que deflagra há já dois meses está a ameaçar a Floresta Amazónica e algumas tribos indígenas, que vivem isoladas. Pensa-se que o fogo, que já é considerado o pior das últimas décadas, tenha mão criminosa de madeireiros.

Segundo o The Guardian, as autoridades acreditam que o fogo seja o resultado das tensões entre ambientalistas e madeireiros.

O incêndio chegou a espalhar-se por uma área de 100 quilómetros e, de acordo com a Greenpeace, 45% do território indígena de Arariboia foi consumido pelas chamas. Mais de 12.000 índios Guajajara foram afetados e as autoridades receiam que o fogo tenha já chegado à tribo dos Awá-Guajá.

O governo já declarou, inclusive, o estado de emergência nos territórios de Geralda Toco Preto, Canabrava Guajajara, Governador, Krikati, Lagoa Comprida, Bacurizinho, Urucu, Juruá, Porquinhos e Canela.
 

“Este é, certamente, o maior fogo que vimos nos últimos anos”, disse um bombeiro ao The Guardian.


Apesar dos esforços de 250 bombeiros, as autoridades já afirmaram que o fogo só deve estar totalmente controlado daqui a uma semana. Depois disto, o governo vai prestar auxílio às comunidades indígenas, uma vez que vão perder grande parte da floresta de que necessitam para sobreviver.
 

“Para além da extinção deste incêndio, a principal preocupação deve ser a sobrevivência destas pessoas. Muitas áreas foram destruídas, o que significa que caçar vai ser mais difícil, por isto os índios vão ter sérias dificuldades em arranjar comida”, adiantou ainda o bombeiro.