Nikolas Jacob Cruz invadiu ontem à tarde a Escola Secundária Marjory Stoneman Douglas, em Parkman, na Flórida, e matou 17 pessoas. 

O ex-aluno daquele estabelecimento é um órfão com passado problemático e um obcecado por armas. O perfil do atirador da Florida dá-nos conta que frequentou um programa de treino militar junior e que já tinha sido expulso da escola pelo menos duas vezes por alegados envolvimentos com armas e violência. 

No meio do caos do massacre, houve quem tivesse a coragem para uma atitude altruísta.

Assim que se aperecebeu do que se estava a passar, Aaron Feis agiu de forma instantânea: o treinador de futebol, também conhecido como "herói do massacre" enfrentou o assassino, colocando-se à frente dos alunos de forma a protegê-los dos disparos. Uma atitude que acabou por lhe custar a vida, uma vez que foi fatalmente atingido, acabando por morrer durante a madrugada desta quinta-feira. 

O tiroteio aconteceu na quarta-feira à tarde (horário local), na Marjory Stoneman Douglas, uma escola secundária na cidade de Parkland, na Flórida. 17 pessoas morreram e dezenas ficaram feridas. O massacre é considerado um dos tiroteios em massa mais mortíferos da história dos Estados Unidos. 

Segundo informações recentes, o FBI foi alertado sobre atirador do liceu da Flórida há cinco meses.