O número de mortos na sequência de um duplo atentado numa mesquita em Bengasi, na Líbia, subiu de 27 para 31, existindo ainda 43 feridos, indicou à agência espanhola EFE um responsável médico.

Uma fonte da segurança informou entretanto que um primeiro carro-bomba explodiu quando as pessoas abandonavam a mesquita no bairro de al-Sleimani, no centro da cidade, enquanto um segundo carro explodiu cerca de 30 minutos depois na mesma zona, causando mais baixas entre as forças de segurança e civis.

“Entre as vítimas mortais há vários agentes de segurança e membros dos serviços de saúde. Alguns dos feridos estão em estado muito grave, pelo que o número de mortos pode vir a aumentar nas próximas horas”, disse a mesma fonte.

Até ao momento, nenhum grupo reivindicou a autoria dos atentados.

A Líbia está mergulhada no caos desde a revolta popular que acabou com o regime de Muammar Kadhafi, em 2011.

Bengasi, que era um bastião da revolução da Líbia, tornou-se uma fortaleza de grupos jihadistas. A cidade tem sido particularmente afetada pela violência, que tem atingido as representações diplomáticas e as forças de segurança.

As Nações Unidas já condenaram os atentados, com uma mensagem nas redes sociais, em que referem que os ataques diretos ou indiscriminados contra civis são proibidos pelo direito internacional humanitário e constituem crimes de guerra.