Notícia atualizada às 13h12

Cerca de 200 manifestantes desafiaram o recolher obrigatório que entrou em vigor em Ferguson, Missouri, depois de noites consecutivas de protestos, por causa de um adolescente negro desarmado que foi morto a tiro pela polícia.

Fonte policial avançou à cadeia de televisão norte-americana CNN que, no decorrer dos distúrbios, um homem foi baleado e sete pessoas foram detidas pelas autoridades.

O Governador do Missouri, Jay Nixon, declarou o estado de emergência e o recolher obrigatório a partir de meia-noite de sábado (05:00 GMT de hoje) até às 05:00, para o subúrbio de Ferguson St. Louis, onde Michael Brown, um jovem de 18 anos, foi morto a tiro pela polícia no dia 9 de agosto.

Ferguson estava pacífica quando o recolher obrigatório começou, informou a imprensa local. Mas cerca de 200 manifestantes reuniram-se na área onde Brown foi baleado e desafiaram as ordens para dispersar.

A polícia de choque, fortemente armada e apoiada por reforços em veículos blindados, lançou granadas de fumo e movimentou-se lentamente para dispersar a multidão. Apesar de as imagens transmitidas pelos media serem dramáticas, não foram reportados incidentes de violência.

Jay Nixon Justificou as medidas com a necessidade de «proteger as pessoas e os bens de Ferguson», depois de saqueadores terem invadido lojas da cidade e entrado em confronto com a polícia durante as noites sexta-feira a sábado.

O objetivo é «conter aqueles que estão a abafar a voz do povo com suas ações», disse Nixon, durante uma conferência de imprensa realizada sábado numa igreja local.

Nixon foi repetidamente interrompido por moradores irritados com a aparente falta de prestação de contas por parte da polícia, maioritariamente branca, responsável pela morte de Brown, numa área maioritariamente negra.