O governador do Missouri declarou um estado de emergência na cidade de Ferguson, palco de vários protestos e confrontos após a morte de um jovem negro, baleado por um polícia.

Também foi declarado um recolher obrigatório, entre a meia-noite e as cinco da manhã.

«Para proteger as pessoas e propriedades de Ferguson, assinei uma ordem a declarar o estado de emergência e o recolher obrigatório na zona de Ferguson», revelou Jay Nixon.



«Temos de ter e de manter a paz. Os olhos do mundo estão a olhar para nós», acrescentou.

Este sábado, algumas dezenas de pessoas juntaram-se no local onde Michael Brown, de 18 anos, foi baleado mortalmente pelo agente Darren Wilson. Ao mesmo tempo, um grupo de jovens lançou o caos na cidade a roubar e destruir lojas.

Já esta sexta-feira, a polícia de Ferguson divulgou imagens onde podia ver-se um suspeito de assalto semelhante à vítima.

O governador deslocou-se à cidade na esperança de travar a tensão:





A morte de Michael Brown está a ser investigada pelo FBI, a pedido de grupos de defesa dos direitos civis.

Testemunhas do incidente de sábado disseram à imprensa local que Brown e um amigo caminhavam pelo meio de uma rua quando a polícia os mandou parar. Segundo essas testemunhas, o jovem pôs os braços no ar para mostrar que não estava armado antes de ser alvejado com vários tiros.

A versão preliminar das autoridades é de que houve uma luta, durante a qual Brown empurrou o agente da polícia e tentou tirar-lhe a arma, o que fez o polícia disparar.

Desde então, a cidade de Ferguson tem sido palco de distúrbios violentos em protesto pela morte de Brown. O Presidente Barack Obama já pediu calma e contenção às forças de segurança.