O governador do Missouri, Jay Nixon, declarou estado de emergência esta segunda-feira e autorizou a guarda nacional a dar apoio à polícia, no caso de se registarem novos episódios de violência, após o veredicto sobre a morte de Michael Brown, que se espera até ao final do mês.
Importa relembrar a onda de confrontos gerada à volta da morte do jovem de 18 anos de raça negra, baleado pelo polícia caucasiano Darren Wilson, em agosto.

Os departamentos policiais preparam-se para enfrentar manifestações, que já decorrem há dois dias, que podem ganhar contornos violentos, tendo em conta a grande tensão racial e protestos que se seguiram aos acontecimentos relacionados com o caso.
 
«Sei que o governador anunciou que será implementada a guarda nacional nos próximos dias em antecipação da decisão pelo grande júri em Clayton» , afirmou Francis G. Slay, presidente da câmara de St. Louis, onde se situa Ferguson.

Vários ativistas em Fergunson reuniram-se no último sábado com vista a organizar mobilizações de protesto.

Em Berkeley, localidade vizinha, as autoridades distribuíram panfletos a alertar para a esperada agitação. Nos folhetos aconselham a população a ter alimentos suficientes em casa, água e medicamentos, caso não seja possível deixarem as habitações durante vários dias.