O principal suspeito está preso, mas faltará encontrar quem possa ajudar a esclarecer o enquadramento dos atentados ocorridos no fim de semana, nas cidades de Nova Iorque e Nova Jérsia. Duas explosões de engenhos artesanais feriram cerca de 30 pessoas. A polícia deteve o norte-americano, de origem afegã, Ahmad Rahami, de 28 anos.

Agora, a polícia federal norte-americana procura dois homens e já divulgou a imagem dos mesmos. Câmaras de vigilância mostraram-nos a, aparentemente, retirar uma bomba de uma mala. Deixaram o engenho no local e seguriam caminho com a mala.

Pelas investigações levadas a cabo, a polícia federal norte-americana acredita que o principal suspeito, Ahmad Rahami, colocou uma série de engenhos explosivos em vários locais. Um dos que não terá explodido estaria dentro de um saco, que foi levado pelo dois homens, agora procurados.

As imagens captadas por câmaras de vigilância dos dois homens foram gravadas entre as 20:00 e as 21:00 locais, entre as 6.ª e 7.ª avenidas, em Nova Iorque.

Suspeito não colabora

Ahmad Rahami, o principal suspeito de ter plantado bombas artesanais em vários locais, foi capturado segunda-feira, em Nova Jérsia, depois de um tiroteio com polícias.

Ficou ferido. Foi e está hospitalizado, com ferimentos numa perna, num antebraço e num ombro.

Sabe-se agora, através de relatos da comunicação social, que já foi questionado por agentes da polícia federal, mas que não tem colaborado.

A polícia norte-americana continua a tentar perceber o real enquadramento das explosões no fim de semana.

A ligação a redes de terrorismo radical islâmico internacional tem sido descartada, sendo sabido que o próprio pai de Rahami, há dois anos, queixara-se à polícia das atitudes violentas do filho.