O Ministério russo do Interior proibiu modificações nas fardas da polícia, depois de a imagem de um suposto grupo de polícias russas, a usar saias curtas e salto alto, ter circulado pelas redes sociais na última segunda-feira. A medida do Governo impede que as mulheres polícias encurtem o comprimento das saias e que os homens cortem as mangas da camisa.

De acordo com o jornal «The Moscow Times», o ministério russo proibiu também que os agentes e oficiais da polícia misturem o uniforme com roupas e acessórios civis. Os chefes de departamento têm, agora, de inspecionar as fardas todos os dias para se certificarem de que estão de acordo com as normas.

O vice-ministro Sergei Gerasimov advertiu que tais liberdades serviam apenas para minar a autoridade da polícia e desacreditar as forças de segurança como um todo.

«A primeira coisa em que se repara quando vemos uma pessoa é o vestuário, e, para um oficial da polícia cumprir os seus deveres, é fundamental que tenha uma aparência limpa. De vez em quando, temos visto casos de polícias vestidos de forma indevida. Os chefes [dos departamentos] devem prestar mais atenção à aparência dos subordinados», refere o vice-ministro, num documento a que o jornal russo «Izvestia» teve acesso.





O presidente do Sindicato dos Policiais na Rússia defendeu, em declarações ao «Izvestia», que os polícias não têm de ser criticados por modificarem os uniformes. Mikhail Pashkin disse que as críticas apontadas por Gerasimov resultam do fracasso do Ministério do Interior em fornecer vestiários suficientes para os agentes da polícia.

Quanto ao problema de agentes do sexo feminino encurtarem as saias, Mikhail Pashkin não vê razões para reclamações. «Talvez as meninas apenas se queiram casar. Aliás, elas estão a pensar na situação demográfica», afirmou.