O exército israelita descobriu o «túnel do terror», uma escavação secreta de 1,7 quilómetros, que liga a Faixa de Gaza a Israel e que pode ter sido usada para atacar civis no Estado judaico, segundo a BBC.

O túnel, onde terão sido usadas cerca de 400 toneladas de cimento, estabelece uma ligação subterrânea entre uma casa em Absan, perto da fronteira de Gaza, e um kibutz (comunidade rural) em Ein Hashlosha, do lado de Israel.

A descoberta já levou o Governo de Israel a suspender o envio de material de construção para Gaza, que havia sido recentemente restabelecida.

O túnel foi revelado na passada segunda-feira (6) depois de moradores do kibutz se terem queixado de barulhos provenientes da zona fronteiriça.

Dentro da escavação de 15 a 18 metros de profundidade foram encontrados explosivos que já foram desativados, segundo fonte do exército.

O ministro da Defesa israelita, Moshe Yaalon, disse que a descoberta do «túnel do terror» é «uma prova que o Hamas continua a preparar-se para confrontos com Israel e para continuar a levar a cabo ataques terroristas, se achar que é possível».

«Já que os materiais de construção foram usados para estas escavações, instruí, durante o fim de semana, para que parassem as entregas destes materiais para Gaza», continuou.

O líder do Hamas de Gaza acusou, por sua vez, o Governo israelita de estar «a exagerar as coisas».