Salah Abdeslam, suspeito dos ataques de Paris, em novembro de 2015, foi esta quarta-feira entregue pelas autoridades belgas à justiça francesa. 

Em comunicado, a procuradoria belga anunciou que, "no âmbito dos ataques de Paris do 13 de novembro de 2015, Salah Abdeslam foi entregue às autoridades francesas esta manhã", ao abrigo do mandado de captura europeu. 

O documento, citado pela AFP, adiantava que não seria dada qualquer informação sobre a hora e o local em que foi efetivada a extradição.

A televisão francesa BFM acrescenta que o suspeito de terrorismo foi transferido de helicóptero e que se encontra nas instalações da Grupo de Intervenção da "Gendarmerie" francesa. Salah Abdeslam aterrou em França pelas 09:05 desta quarta-feira e deve ser ainda hoje presente ao juiz. 

Detido dias antes dos ataques a Bruxelas

A 18 de março, Salah Abdeslam, em fuga desde os atentados de Paris que vitimaram 130 pessoas, foi detido numa mega operação policial em Bruxelas. O suspeito ficou ferido numa perna, recebeu tratamento hospitalar e foi transferido para uma cadeia belga. A detenção foi saudada pelos governantes franceses e belgas. 

Menos de uma semana depois, ocorreram os atentados de Bruxelas, que vitimaram mais de 30 pessoas e, em 48 horas, o suspeito de terrorismo anunciou a mudança de estratégia que visou aceitar o pedido de extradição para França, embora o advogado tenha dito que ele não estava ao corrente dos ataques à capital belga. 

O novo advogado de Salah Abdeslam, Frank Berton, já veio a público dizer que o suspeito "tem direito a um julgamento justo" e que "deve ser julgado por aquilo que fez e não por aquilo que não fez", cita a BFM. A 13 de novembro de 2015, Salah Abdeslam não se fez explodir em Paris, ao contrário do irmão.