«A sua morte é uma grande perda. Não só porque ficamos sem um animal que nos era querido, mas porque a espécie fica, assim, mais perto da extinção», afirmou Randy Rieches, diretor do Safari Park do Zoo.


ao cuidado da Ol Pejeta Conservancy.



Dado que a subsespécie originária da África Central não se consegue reproduzir normalmente, a única esperança que resta a esta subespécie é a fertilização invitro, através de uma «fêmea do sul».