O desaparecimento dos dinossauros da Terra, há 66 milhões de anos, «foi um azar», de acordo com um novo estudo da Universidade de Edimburgo, Escócia. A investigação, realizada por 11 especialistas do Reino Unido, dos Estados Unidos e do Canadá, foi publicada na revista científica «Biological Reviews» e conclui que a extinção ocorreu devido a uma combinação trágica de fatores,

O impacto de um asteróide quando os animais estavam num momento de maior vulnerabilidade terá levado à sua extinção. Mas se o choque do astro tivesse ocorrido cinco milhões de anos antes, as hipóteses de sobrevivência teriam sido maiores porque os ecossistemas «eram mais fortes e diversificados».

Steve Brusatte, um dos investigadores, explicou que na altura em que se deu o impacto, o aumento do nível das águas dos oceanos e a atividade vulcânica terá deixado muitas espécies mais frágeis e, por isso, com maiores probabilidades de extinção.

«Os acontecimentos formaram uma tempestade perfeita no momento em que os dinossauros estavam mais vulneráveis», justificou.

Segundo o especialista, ao longo da sua existência os dinossauros tiveram diversos momentos altos e baixos, mas sempre conseguiram recuperar.

Dado que a extinção da espécie permitiu a evolução de outras, como os mamíferos, Brusatte acredita que se o asteróide não tivesse atingido a Terra naquele momento histórico, hoje o mundo seria muito diferente e ainda dominado pelos predadores do Jurássico.

Mais, o especialista admite que os animais poderiam ter mesmo desenvolvido inteligência a um nível avançado.

«Sobre o processo de evolução nunca podemos dizer nunca. Os dinossauros poderiam ter desenvolvido inteligência», declarou.

A hipótese é, contudo, desvalorizada pelo especialista Simon Conwoy-Morris, da Universidade de Cambridge.

Conwoy-Morris destaca que a experiência sobre a evolução da inteligência dos dinossauros já existe, referindo-se ao facto de os corvos serem seus descendentes diretos.

Na opinião do especialista de Cambridge, outros grupos de animais teriam tido mais hipóteses de desenvolver um elevado grau de inteligência e a capacidade de criar ferramentas.

Para Conwoy-Morris, mesmo que a extinção em massa não tivesse ocorrido, os dinossauros não teriam sobrevivido até hoje.