Um casal espanhol foi impedido de entrar com a filha de cinco meses no Mobile World Congress (MWC), a maior feira de smartphones do mundo, que decorre em Barcelona. Na passada quinta-feira, Francisco Hernández Marcos e Esther Yuste foram ao evento por motivos profissionais, mas acabaram por ficar à porta por a criança ser menor de idade. Pouco importou que a menina fosse lactante. Francisco Hernández Marcos queixa-se agora nas redes sociais de ter sido expulso do recinto de uma forma “rude” e de a mulher ter sido acusada de ser “pouco profissional”

"Quando ela disse que não levava a menina por capricho, mas para tentar conciliar a vida profissional e familiar, uma supervisora chegou a responder-lhe que o seu comportamento era pouco profissional", conta Francisco Hernández Marcos, em declarações por telefone ao jornal El País.

 

Embora o site do Mobile World Congress explique que é necessário solicitar antecipadamente, via correio eletrónico, o acesso a menores de 16 anos, o casal diz que não foi informado sobre esse regulamento quando lhe foi negado o acesso ao evento e se queixou do modo como estava a ser tratado.

"[A minha mulher] Sentiu-se magoada com o comentário e não insistiu, para logo a seguir me telefonar", acrescentou Francisco Hernández Marcos, que acorreu a cuidar da filha, no final de uma reunião, para que a esposa pudesse participar no evento.

Como tinha acreditação, Francisco Hernández Marcos decidiu esperar sentado num banco ao ar livre, na entrada do recinto. Pouco depois, uma mulher da organização disse-lhe que não podia ficar ali com a bebé, e num tom que ele não considerou amigável.

“Não quis armar confusão e, por isso, não resisti. Agora, lamento e sinto-me culpado por não ter informado a polícia do que estava a acontecer. Por isso, decidi contar a história”, afirmou, explicando que começou a divulgar a reclamação através das redes sociais.

Francisco Hernández Marcos enviou a sua mensagem à maior parte dos patrocinadores do Mobile World Congress, mas não tenciona contactar diretamente os organizadores do evento ou apresentar uma queixa por escrito.

Nos últimos dias, a queixa, com a #MarinaEntraAlCongreso, ganhou o apoio através do Twitter de associações como Malasmadres e da jornalista Carme Chaparro.

 

 

 

 

"Ainda estamos a investigar este incidente, mas gostaria de pedir desculpas a ambos pelos problemas que ocorreram na semana passada. Embora seja um evento empresarial, estamos cientes de que algumas famílias podem precisar de apoio para nele participar. Neste contexto, temos um programa paralelo chamado Mobile Explorers Club dedicada a crianças entre os 8 e os 15 anos e oferecemos o serviço adicional de uma sala para amamentação e uma sala de enfermagem ", explicou por e-mail, ao jornal El País, a GSMA, associação que dirige o evento e é responsável por gerir o acesso ao Mobile World Congress.

A GSMA confirma as regras de aviso prévio por escrito e diz: "Não temos conhecimento de que o Sr. Herández Marcos tenha feito o pedido prévio necessário para obter autorização que lhe permitisse o acesso ao recinto com um bebé. Caso contrário, teríamos analisado a situação de uma forma adequada.”

 

La sala de lactancia más inútil del mundo #MarinaEntraAlCongreso #MWC16 #4YFN #conciliación http://www.lactapp.es/blog/la-sala-de-lactancia-mas-inutil-del-mundo

Publicado por LactApp em  Sexta-feira, 26 de Fevereiro de 2016

 

(Foto arquivo)