O Governo chinês vai restringir, a partir de 15 de agosto, a exportação de alguns tipos de drones e supercomputadores por motivos de segurança nacional, informou este domingo a imprensa chinesa.

A decisão, acordada pelo Ministério de Comércio e a Administração Geral das Alfândegas, é dirigida a dispositivos para uso militar.

A proibição de venda no exterior vai ser aplicada aos drones – veículos aéreos não tripulados – com capacidade de voo durante mais de uma hora ou acima de 15.420 metros, ou que sejam capazes de operar sob ventos fortes.